Notícias

Sete religiosas ucranianas chegaram ao Brasil, em 11 de abril de 1911, com uma importante missão: servir aos imigrantes ucranianos em suas prementes necessidades. Com envio a pedido dos imigrantes de sua terra natal e de sacerdotes instalados no solo brasileiro, as irmãs se dividiram em duas regiões. Quatro delas - Irmãs Volodemera Pinhonchek, Anatólia Bodnar, Eumélia Klapoushchak e Sofia Ramatch  - foram para Prudentópolis, no Paraná, e três - Irmãs Olga Lukatch, Helena Kutcher e Salomia Kovalyshyn - para Iracema, município de Itaiópolis, em Santa Catarina.

O início dos trabalhos não foi fácil, já que os ucranianos passavam por vários dissabores. Não havia condições de saúde, moradia adequada, escolas e cultivo de tradição e religião.

As missionárias viajaram em companhia de três sacerdotes basilianos e dois diocesanos, chegaram primeiro ao porto de Santos, em São Paulo, no dia 05 de abril, depois tomaram um trem rumo a Ponta Grossa. Foi então que as religiosas com destino a Prudentópolis se separaram das três que se dirigiam para Iracema.

Um grupo de jovens aguardava as missionárias para recepcioná-las em Prudentópolis. A 15 quilômetros do município, a comitiva foi saudada por fogos de artifício e por doze cavaleiros festivamente enfeitados. Em Prudentópolis, os habitantes da vila se perfilavam nas ruas para receber as tão esperadas Irmãs que chegavam de carroça à meia noite.

Após serem recepcionadas com um jantar surpresa, as Servas de Maria Imaculada logo se sentiram em casa. No dia seguinte, receberam a visita de moradores e juntos participaram da Missa celebrada em Ação de Graças. As Irmãs que se deslocaram para Iracema também foram recebidas calorosamente.

Uma das Primeiras Benfeitorias das missionárias foi a abertura de escolas nas colônias de Prudentópolis e Iracema. Elas ensinavam disciplinas do currículo regular, cultura religiosa e ucraniana, alemão, francês, corte e costura, bordado e música. Ajustar o ensino as necessidades e capacidades dos alunos também foi uma árdua tarefa para as Irmãs. Elas sempre finalizavam o ano letivo com atividades, celebrações, exposição de trabalhos manuais, recitação de poesias e apresentações de canto e teatro.

Foi em 1913 que as Servas de Maria Imaculada ampliaram sua missão no Brasil. Isso ocorreu com a chegada de mais três irmãs ucranianas. Dois anos depois foi necessário aumentar suas residências para receber meninas para o internato. Este acolheu 80 alunos em Prudentópolis. Houve ainda mais 200 alunos externos. Apesar da maioria dos estudantes ser descendente de ucranianos, também eram acolhidas crianças de origem italiana, síria, alemã e brasileira. 

Com o passar do tempo, a quantidade de alunos brasileiros cresceu e as irmãs passaram a ensinar em português. Mesmo assim, as aulas de ucraniano e catequese eram ministradas após o horário para as crianças de origem ucraniana.

Além de educação, a comunidade também precisava de cuidados na área da saúde. Assim, Iracema recebeu a Irmã Olga e Prudentópolis, a Irmã Anatólia. Ambas se dedicaram para atender o povo pobre e doente. Passados anos, outras missionárias ingressaram na área. De tal forma, que a Província São Miguel Arcanjo possui dois hospitais particulares, sendo um em Prudentópolis, o Hospital Sagrado Coração de Jesus, e o outro em Ponta Grossa, o Hospital Bom Jesus. As Servas de Maria Imaculada também dão continuidade aos trabalhos da área em postos de saúde situados em povoados onde há colônias ucranianas.

Veja mais notícias